Publicado por: evitoria | 25 de outubro de 2012

Cidades alagoanas da Zona da Mata ficam sem serviços de telefonia móvel


 

Algumas cidades como Jundiá estão há 15 dias sem comunicação

por Hígor Silva e José Cícero

Cícero Locutor

Cidades alagoanas da Zona da Mata ficam sem serviços de telefonia móvel

As Operadoras de telefonia celular, continuam com o serviço precário no interior de Alagoas, é o que conta o Procon, com uma enorme entrada de registros diários de reclamação de consumidores que assinaram planos e serviços com as operadoras e não são compensados com os "bons serviços".

A Redação do jg40graus/Minuto Zona da Mata, recebeu emails, telefonemas e contados via redes sociais de usuários das operadoras: OI, TIM e Claro.

A cidade de Jundiá, a cerca de 120 quilômetros de Maceió, e divisa perimetral entre Alagoas e Pernambuco, sofre a mais de 2 semanas sem os serviços da Claro. De acordo com um email enviado a nossa redação os usuários realizam contato com a operadora e desde a semana passada a mesma responde: "Dentro de 48 horas o problema será resolvido". Procuramos a assessoria de imprensa da Claro, mas a ligação não completava.

Em Joaquim Gomes, 60 km da capital, a operadora que funciona precáriamente, e é alvo de reclamação de seus usuários é a TIM, na cidade desde o sábado 20/10, o serviço de telefonia móvel opera com precariedade, de acordo com alguns usuários, além do serviço não está no padrão 3G, a operadora ainda cobra taxas excedentes nos planos de internet.

Até o fechamento desta matéria, 23 de outubro de 2012, 23:41, o sinal da operadora não havia retornado no município. Outro alvo de reivindicação dos usuários é a retomada de serviços da Claro no município, que desde 2003 não opera em Joaquim Gomes.

Em Santana do Mundaú, só existe uma operadora funcionando que é a VIVO, usuários reclamam que a operadora instalou uma nova torre para melhorar o sinal e até agora não a ativou. Quem está de passagem e utiliza-se dos serviços de outra operadora não consegue contato.

No município a Oi ainda instalou uma torre para operar, mas de acordo com os internautas, usuários de redes sociais no município, há varios anos que a mesma não entra em serviço.

Outro problema grave de comunicação no município e a questão da operação da Empresa brasileira de Correios e Telégrafos, que desde 2010, após a grande enchente do Rio Mundaú que arrasou a cidade, não mais opera no município, obrigando os moradores a se deslocar para os municípios vizinhos.

Cidades verdadeiramente sitiadas pela morosidade do poder público, falta de fiscalização dos órgãos competentes e de ação por parte de algumas câmaras, e vereadores e das próprias prefeituras. Opinião unânime dos internautas que participaram desta matéria.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: